Idioma
Menu
Menu
Idioma

Aromeiazero

A edição deste ano da Bike Brasil firma novamente uma importante parceria com o Instituto Aromeiazero, organização que possui a missão de promover uma visão integral da bicicleta como ferramenta de mudança no modo de vida e de relações em centros urbanos e comunidades rurais por meio de empreendedorismo, cultura e lazer. O objetivo da parceria é arrecadar bikes, peças, acessórios e utilitários de bicicletas que serão usados posteriormente nos projetos Viver de Bike e Rodinha Zero.

As arrecadações acontecerão na área de credenciamento do evento, basta apenas a pessoa indicar que está com peças para serem doadas. Importante destacar que o Aromeiazero não receberá peças quebradas, câmaras furadas ou roupas usadas. A entidade estará recebendo os seguintes itens: pneus (aro 20, 24 e 26) novos, selins adultos seminovos, passadores de marcha seminovos, cabos e conduites novos, rodas seminovas, alinhadores de roda, sacadores de pino de corrente, alicates para cortar cabo, desingripantes e lubrificantes, chave cônica e canivetes de ferramentas. Bicicletas em qualquer condição também serão bem-vindas.
“Estamos muito felizes de firmar novamente essa parceria. É importante ver como a cultura da bicicleta pode alcançar diversas pessoas e proporcionar muitas transformações onde nem imaginamos. Esperamos que mais uma vez possamos arrecadar um bom número de peças e auxiliar nesse projeto que ajuda tantas pessoas”, diz Rodrigo Afonso, gerente da Bike Brasil.

O projeto

O Viver de Bike é um curso sobre mecânica e negócios de bicicleta, voltado para pessoas a partir dos 15 anos interessadas na bike como ferramenta de geração de renda. O conteúdo programático possui mais de 60 horas de aulas práticas e teóricas, durante as quais são apresentados conceitos de autogestão, responsabilidade social e financeira, planejamento de negócios, empreendedorismo, além de vivências de BMX, cicloturismo e formação em mecânica de bicicleta. As peças são usadas nas formações e as bicicletas que não são doadas aos alunos são revendidas e alugadas, e com essa verba é possível o financiamento de outras turmas.

Para 2019, a meta do projeto é formar 90 pessoas com capacitação técnica e teórica em economia solidária e mecânica de bicicletas. O foco do curso é atingir pessoas que vivem em vulnerabilidade social, para que dessa forma possam gerar renda a partir da cultura da bicicleta e sentirem-se mais seguras para transitar pela cidade, economizar com passagens de ônibus e serem mais saudáveis. São turmas de 15 pessoas cada e a exigência para fechá-las é que ao menos a metade seja composta de mulheres. O Aromeiazero recebe doações ao longo de todo o ano em sua sede, na zona oeste de São Paulo.